Um grupo de dissidentes, em Norfolk, durante a rebelião de Robert Kett de 1549.
Fonte: Wikimedia Commons. Acesso em: 05/04/2021.

Trata-se de um exercício intelectual de análise de fonte primária, tão necessário para formação do futuro historiador, elaborado por Matheus Queiroz de Assis, estudante do curso de graduação em História da União Pioneira de Integração Social – UPIS.

Rebelião de Kett

A imagem escolhida para ilustrar este post é significativa. Em poucas palavras: foi uma revolta camponesa, sob a liderança de um senhor de terra, que ocorreu durante o reinado de Eduardo VI, em razão do constante crescimento dos cercamentos – os camponeses eram expulsos de suas terras para dar lugar à criação de ovelhas.

Uma breve contextualização. A rebelião, que durou cerca de 2 meses, ocorreu no condado de Norfolk, Inglaterra, no ano de 1549. Camponeses insatisfeitos com a política dos enclosures destruíram as cercas que haviam sido colocadas na região. Robert Kett, um dos proprietários de terra, deu força e voz ao movimento ao decidir liderar os camponeses, concordando com seus pleitos.

Os rebeldes, que somaram cerca de 16.000 camponeses, chegaram a derrotar um Exército Real sob as ordens do Marquês de Northampton.

Após diversos embates, os camponeses foram derrotados na Batalha de Dussindale. Kett foi preso, julgado e condenado por traição. No mesmo ano foi enforcado.

Reflexões em torno da Utopia de Thomas Morus

O texto em exame é um fragmento da famosa e conhecida obra de Thomas Morus. Nela é retratada de maneira brilhante a passagem do feudalismo para o capitalismo na Inglaterra.

As transformações percebidas na sociedade inglesa em decorrência dos cercamentos dos campos são descritas de forma viva por Morus. A sua obra produziu um forte impacto na consciência dos ingleses.

As reflexões em torno da obra são múltiplas e complexas. Alguns autores a considera como um produto típico da era dos descobrimentos. Outros estudiosos afirmam ser a expressão do nascente imperialismo em razão do seu propósito de universalidade.

Autor: Matheus Queiroz de Assis
Mais sobre o autor.

Atividade desenvolvida durante o curso de História da América Colonial, do Departamento de História da União Pioneira de Integração Social – UPIS, no ano de 2021, sob a orientação do Prof. Dr. Dinair Andrade da Silva.

Como citar este post: ASSIS, Matheus Queiroz de. A Utopia – Análise de Fonte Primária. União Pioneira de Integração Social – UPIS, Brasília, 2021. In: Histórias das Américas. Disponível em: https://historiasdasamericas.com/a-utopia-analise-de-fonte-primaria/. Publicado em: 06/04/2021. Acesso: [informar a data de acesso].