Ferramentas do método utilizado na elaboração de dissertação sobre Auguste de Saint-Hilaire

Entrada da baía e da cidade do Rio a partir do terraço do Convento de Santo Antônio, Nicolas-Antoine Taunay, 1816. Fonte: Wikimedia Commons. Acesso em: 08/05/2021.

Taunay foi integrante da Missão Artística Francesa no Brasil. O pintor e Saint-Hilaire, apesar de integrarem grupos distintos de viajantes estrangeiros, aportaram no mesmo ano – 1816 – em terras brasileiras. A escolha desta ilustração justifica-se por representar o Rio de Janeiro visto por Saint-Hilaire quando ele chegou ao Brasil.

Recordo que em 1815 Napoleão foi derrotado. A França integrou-se aos princípios do Congresso de Viena, o que facilitou o reatamento de suas relações com Portugal.

Metodologia esboçada no “Relatório de Licença Sabática gozada pelo Professor Dinair Andrade da Silva durante o segundo semestre de 1991”.

Objetivos:

1. Levantamento dos dados para se traçar um quadro geral dos viajantes

2. Categorização dos diários de viagem de Saint-Hilaire

As fotos abaixo, do meu arquivo pessoal, mostram o relatório original em sua íntegra:

Quadro geral dos viajantes

Inserindo Auguste de Saint-Hilaire e sua obra no âmbito da história das relações culturais num contexto internacional, procurei situá-lo num quadro geral que fixasse viajantes no tempo e no espaço.

Ao elaborar este quadro geral, obtive elementos para expor várias circunstâncias que envolveram pessoas que realizaram viagens.

Os dados trabalhados são da Grande Enciclopédia Delta Larousse (15 vols., Rio de Janeiro: Editora Delta, 1972), que ofereceu um quadro de informações heterogêneas sobre 1361 viajantes que se deslocaram pelas distintas regiões do globo, da Antiguidade à Época Contemporânea.

O exame deste material revelou, para estes viajantes, um total de 235 localidades, no mundo inteiro, onde se verificaram nascimentos, óbitos e viagens; 126 modalidades de ocupação, que, agrupadas algumas, consideradas individualmente outras, formaram um conjunto de 38 ocupações; 36 objetivos de viagens; 26 sociedades a que pertenceram alguns viajantes, além de outras informações.

Grande Enciclopédia Delta Larousse, 1970. Fonte: Wikimedia Commons.
Acesso em: 08/05/2021.

O passo seguinte foi buscar mecanismos que pudessem proporcionar condições para discriminar, no conjunto heterogêneo das informações, algumas variáveis comuns a todos os viajantes e a indicação de outras que, embora não sendo comuns, pudessem, em sendo discriminadas, oferecer possibilidades de receber algum tratamento estatístico.

Estruturei, então, em folhas de papel ofício, uma rede em que se pudesse harmonizar as informações comuns e não comuns para a tabulação.

As variáveis discriminadas e examinadas foram as seguintes (ficha p. 5):

Data de nascimento

Data de morte

País de nascimento

País de morte

País ou local visitado

Objetivo da viagem

Data da viagem

Período de permanência

Roteiro da viagem

Outras publicações [além dos relatos de viagem]

Escolarização

Ocupação

País de naturalização

Sociedades [científicas] a que pertenceu

Documentário [sobre o trabalho do viajante]

Telas [documentação pictórica]

Peças musicais [relacionadas]

As fichas compostas com os verbetes da Enciclopédia foram decodificadas e suas informações – mediante uma correspondência numérica com listas auxiliares contendo as variáveis citadas – transcritas nas referidas folhas de papel ofício, num total de 36 folhas.

De posse desse corpus, procedi à tabulação. Esta tabulação permitiu a elaboração de oito tabelas destinadas a fundamentar o texto. Além dessas tabelas, obtive um conjunto de informações úteis para outros comentários.

Categorias depreendidas em Saint- Hilaire

Os diários de viagem de Saint-Hilaire estão traduzidos e publicados em língua portuguesa.

No exame deste material, depreendi 63 categorias que aparecem quando esse viajante observou, interpretou, recriou e descreveu a realidade brasileira que compunha o universo de suas viagens.

A conduta utilizada neste exame foi a da desmontagem de cada um dos volumes, que alcança o número de onze na versão utilizada, seguida de nova montagem orientada pelas categorias depreendidas.

Fonte: Arquivo pessoal.

Em termos de procedimentos técnicos, servi-me de cópias xérox de todo o material, que foram recortadas com vista à individualização das categorias.

Foi-me possível compor um “Quadro das Categorias Depreendidas em Saint-Hilaire”, que revelou alguns aspectos quantitativos de minha categorização, conforme indicarei a seguir.

Todos os onze relatos trataram amplamente do estado de espírito do viajante, dos aspectos técnicos da expedição, da religião (compreendendo padre, crendice, superstição), da saúde (compreendendo higiene, médico), da agricultura, da indústria (compreendendo o artesanato), do comércio (compreendendo venda, troca), da hospedagem (compreendendo estalagem, rancho), das vias de transportes (compreendendo posto fiscal), da pecuária (compreendendo animais em geral), dos aglomerados urbanos (sem referência específica a construções, atividades urbanas, exceto sexo), das igrejas (incluindo conventos).

Outros temas, mesmo não tendo sido tratados em todos os relatos, ocupam largos espaços na obra como um todo.

Em seguida, em termos de frequência, aparecem 22 temas:

Saint-Hilaire comentando outros viajantes

atitudes dos membros da expedição

sexo (comportamento feminino)

raça

“status” (rico-pobre, arrogância-afabilidade)

hospitalidade

polidez (gentileza)

educação (instrução, ler, escrever)

lazer (festa)

extrativismo (mineração, coleta)

caça e pesca

meios de transporte (incluindo tropa, canoa)

prestação de serviços (agregado, mão-de-obra)

impostos e taxas (incluindo pedágio)

administração pública

militar

negros (incluindo escravos, escravidão)

índios

vestuários

alimentação

moradias (construção)

mentalidade (juízo de valor)

Em terceiro lugar, temos também 22 temas:

manifestação da simpatia de Saint-Hilaire pelo Brasil e sua gente

comentário de Saint-Hilaire sobre obras historiográficas

documentos em face da expedição

comunicabilidade (sociabilidade)

curiosidade

falta de hospitalidade

falta de polidez

rixa (briga)

lerdeza (preguiça)

furto

arte (música)

lendas (fábulas)

operações financeiras

justiça

mudança política (Revolução do Porto)

brancos

mestiços (mulatos)

estrangeiros (incluindo Europa, europeus)

traços fisionômicos

prédios públicos

mobiliário

produtos culturais diversos

Finalmente, há um conjunto de temas abordados em um único volume de relatos. São eles os objetivos da expedição, despesas com a expedição, respeito, falta de comunicabilidade (falta de sociabilidade), falta de inteligência, ignorância, má fé.

Como citar este post: SILVA, Dinair Andrade da. O método e a intencionalidade do historiador – Ferramentas do método utilizado na elaboração de dissertação sobre Auguste de Saint-Hilaire. In: Histórias das Américas. Disponível em: https://historiasdasamericas.com/o-metodo-e-a-intencionalidade-do-historiador/. Publicado em: 11/05/2021. Acesso: [informar a data de acesso].